NOSSOS PASTORES

HISTÓRIA DOS BISPOS QUE PASTOREARAM A DIOCESE DE VALENÇA

Dom-André

Dom André Arcoverde de Albuquerque Cavalcanti – (1925 – 1936) – 1º Bispo da Diocese de Valença

Homem extremamente piedoso, D. André lançou as bases do ensino secundário e religioso, fundado, em 1927, o Ginásio Valenciano. Abriu, ainda, os principais cômodos do palácio Episcopal para o funcionamento da Escola Normal. Manteve o ensino em nossa cidade com sacrifícios pessoais, privando-se até de sua alimentação. Chegou a vender seu próprio anel, para custear o ensino em Valença. Implantou Associações religiosas, das quais algumas penduram até os nossos dias: Apostolado da Oração, Pia União dos Filhos de Maria, Liga Católica, entre outras… Trouxe para a Diocese várias Congregações de religiosas, para a educação e o amaro das crianças e órfãos, o cuidado dos doentes e a proteção dos idosos. Na Vacância, assume o Monsenhor Antônio Salerno.

PADRES ORDENADOS

01. Antonio de Paula Dutra
02. Ivo Santi Donin
03. Nathanael de Veras Alcantra.

Dom-renato

Dom Renato de Pontes – (1938 – 1940) – 2º Bispo da Diocese de Valença

Após dois anos de vacância na Diocese, em que foi Vigário Capitular, o Monsenhor Antônio Salerno, assumiu em 03 de abril de 1938, Dom Renato de Pontes, com 38 anos de idade. Embora moço, e cheio de ideais, veio a falecer logo após. Assume novamente a direção da Diocese, o Monsenhor Antônio Salerno.

Dom-Rodolfo

Dom Rodolfo das Mercês de Oliveira Pena – (1942- 1970) – 3º Bispo da Diocese de Valença

Homem boníssimo, um grande conciliador, amigo de todos. Realizou o 1º Congresso Eucarístico Diocesano. Foi atuante em sua ação religiosa, social e educacional, continuando o trabalho de Dom André. Durante seu episcopado, é instalada a Ação Católica especializada que envolveu, sobretudo, a juventude (JAC, JEC, JIC, JOC e JUC). Os jovens eram comprometidos no campo político – social. Possuíam uma fonte de espiritualidade da ação e no mundo; auto compreediam-se, como braços da hierarquia da Igreja. São memoráveis os Encontros Regionais promovidos por este insigne Bispo. Ainda hoje, inclusive, persiste o seu método Ver – Julgar – Agir. A ação católica, acima referida, formou quadros de liderança eclesial e social hoje presentes em nossas comunidades. Foi, também, campo fecundo de vocações religiosas e sacerdotais. Após renúncia de D. Rodolfo, a Diocese ficou dois anos “sede vacante”, sob a administração do Bispo de Barra do Piraí, Dom Agnelo Rossi.

PADRES ORDENADOS

01. José Aragão
02. José Nicodemos Facury
03. Wilson Saraiva Wermelinger
04. José Marques
05. Rubens Cerqueira
06. Argemiro Brochado Neves

Dom-Jose

Dom José Costa Campos – (1960 – 1979) – 4º Bispo da Diocese de Valença

O quarto Bispo, Dom José Costa Campos, foi o grande renovador da diocese, com acriação das comunidades de base, com a implantação dos movimentos derenovação (Cursilho de Cristandade, TLC, MFC…), com a atualização doclero, com a renovação da catequese, com o incremento da Liturgia e com aaplicação das diretrizes do Concílio Vaticano II, do qual participou. Comomembro da presidência da CNBB, durante anos, pela catequese, criou o ISPAC(Instituto de Pastoral e Catequese), órgão responsável pela renovaçãocatequética do Brasil. Foi ele uns dos instaladores da Faculdade de Valença.Repetidas vezes, solidarizou-se com a classe operária e com os trabalhadoresrurais. Todos se recordam de suas visitas constantes às paróquias. Com aeficiente colaboração das Irmãs Missionárias de Jesus Crucificado, implantoucursos de atualização catequética e formação do laicato. Foi ele, aida,quem convocou as duas primeiras Assembléias Pastorais. Assumiu a sede vacante, com Administrador Apostólico, Monsenhor Pedro Higino Dias Diniz.

PADRES ORDENADOS

01. Sebastião da Silva Pereira
02. João José da Rocha
03. Maurice Phillipe Perron
04. José Maria Paiva
05. Pedro Higino Dias Diniz
06. Johnson Ferreira Mury
07. Daniel de Barros Santos

Dom-Amaury

Dom Amaury Castanho – (1980 – 1989) Falecido em Jundiaí 01/06/2006 – 5º Bispo da Diocese de Valença

Dom Amaury aqui chegando, foi grande incentivador de diversas iniciativas: apoiou os Movimentos Leigos, introduziu a Renovação Carismática e o Movimento de Emaús.Durante o seu pastoreio, floresceram: a pastoral operária, do negro e das barragens. Fez-se presente junto aos trabalhadores, em suas comemorações e lutas. promoveu a criação dos Conselhos Diocesanos e Paroquiais de Pastoral. Intensificou a realização das Assembléias Diocesanas. Entre muitas atividades, criou o informativo, Comunidade Diocesana, do qual era redator. Na vacância da Diocese, o Administrador Diocesano foi o Monsenhor Argemiro Brochado Neves.

PADRES ORDENADOS


Medoro de Oliveira Souza Neto
Miguel Arcanjo Lima Leal
José Maria Nunes
Juvenal Aranha Neto
Joel Martins de Abreu

Tem alguma dúvida ?